O Jardineiro Espiritual

Na realidade, não existe nenhuma contradição entre os princípios de que somos responsáveis pelo nosso próprio destino e de que poderes superiores devem concluir o processo criativo iniciado pelo nosso ego. Para ilustrar este ensinamento, considere-se um jardineiro que trabalha numa plantação, mas é incapaz de fazer a semente se tornar um broto. Dessa forma:

  • Preparar sua própria consciência é como o jardineiro que prepara o solo.
  • Eliminar conceitos errados é como arrancar as ervas daninhas.
  • Remover seus bloqueios é como a remoção de pedregulhos e rochas que impedem o crescimento das raízes e o desenvolvimento das plantas.
  • Implantar conceitos verdadeiros na psique, que estejam de acordo com as leis espirituais, é como plantar novas sementes.
  • Cultivar a atitude correta e esperar pacientemente até que a semente esteja enraizada e possa brotar é como cuidar da terra e das plantas, vigiando para que elas recebam luz, umidade e nutrição suficientes.

Seguindo esses passos, o jardineiro cumpre o seu trabalho de chamar o processo criativo à existência, fazendo o melhor possível para que isso ocorra. Mas não é ele quem possui a capacidade de fazer uma árvore, uma fruta ou uma flor desabrochar de uma semente. Se o cultivador quiser uma determinada planta, a semente adequada deverá ser semeada, mas não caberá a ele consumar seu crescimento.

Não há nada no mundo que o jardineiro possa fazer para que o grão se torne uma planta. Um processo criativo é um trabalho que exige a cooperação do jardineiro. Existem certas condições que ele pode—e deve—cumprir sozinho. Contudo, em seguida, a Natureza deverá executar o seu trabalho.

Constantemente desejamos um resultado específico, mas o que semeamos é exatamente o seu oposto, consciente ou inconscientemente. Isso faz com que passemos a desconfiar da vida. Finalmente, quando passamos a enxergar a maneira como manifestamos exatamente o que foi semeado – até mesmo as criações negativas – então desenvolvemos uma confiança no princípio do processo criativo.

Trecho da Parte Um: A Capacidade de Criar

Leia Mais: Desvendando o Roteiro