A Corrente do Não

Se a Consciência é o oleiro, nossa substância da alma é a argila a ser moldada. Ela contém o Sim consciente que se baseia em uma visão verdadeira e gera amor e unidade. A substância da alma também contém nosso Não inconsciente, que é destrutivo e cria o ódio e a desunião. Quando há insatisfação ou uma sensação de “não ter sorte” na vida, a corrente do Sim e a corrente do Não estão presentes e isso é, mais ou menos, como dirigir com o pé no freio.

Se a corrente do Não for empurrada para os subterrâneos da psique, a do Sim se torna frenética, criando tensão e pressão. Apesar dessa corrente tensa do Sim nos convencer de que é certo desejar a realização, ela é também nossa pista de que é preciso procurar a raiz da nossa insatisfação. Mesmo que se descubram os medos secretos, isso raramente muda as coisas, porque ainda há uma corrente do Não oculta.

O trabalho deve ser, então, descobrir onde a corrente do Não está atuante, compreender a falsa premissa e abandonar a antiga crença. Quando você encontrar a afirmação de sua crença inconsciente, verá como se encolhe diante de qualquer possibilidade de realização e satisfação. Por exemplo, se a criança vivenciou experiências dolorosas como parte do amor imperfeito que lhe foi oferecido, ela pode ter internalizado a dinâmica do “puxa-empurra”, ou seja, rejeitar o que quer amar. A crença pode ser: “Eu preciso ter alguém que eu rejeite”.

Os Nãos internos de uma pessoa estão conectados a uma imagem original que foi moldada na substância da alma durante a infância. Não é que sejamos programados dessa forma e não possamos mudar. Muito pelo contrário, curar essas amassaduras profundas da alma é a razão principal desta encarnação. O Guia ensina que, normalmente, as imagens não se originam nesta vida. Se sim, elas são facilmente dissolvidas, uma vez que o raciocínio da mente adulta considere a realidade da situação.

Você pode enfraquecer a corrente do Não ao permitir que a corrente do Sim a observe: “Eu decido conscientemente compreender o meu Não interno. Eu tomo as rédeas em minhas mãos”. Você pode iniciar analisando as camadas que sejam acessíveis. Os materiais semiconscientes com os quais pode trabalhar são as reações emocionais e as fantasias. Você tem que ver como diz Não ao prazer, à satisfação, à autorrealização, à fluidez.

  • Com o que eu estou insatisfeito?
  • O que eu quero que seja diferente?
  • Quanto eu quero isso?
  • Há algo em mim que não queira isso ou tema recebê-lo?
  • Como faço para detectar isso em minha vida diária?

O pensamento positivo e as afirmações construtivas criam uma esperança temporária e até mesmo algum sucesso. Mas, para mudar verdadeiramente um Não, é exigido que, nas palavras de Jesus, você renasça. Dissolver um Não que esteja sendo mantido pela vontade do ego é como fazer uma curva fechada com um caminhão de carga pesada: você precisa ir devagar.

Busque o silêncio interno e apele para a força divina para que ela o ajude a ver a verdade e renascer. Ao adentrar esse vazio, primeiro você verá os elementos destrutivos que flutuam na superfície. Em seguida, será capaz de tocar os elementos construtivos ocultos nas profundezas da sua psique. Tenha claro que, numa cultura dominada pelo ego, algumas correntes do Não são valorizadas como se fossem correntes do Sim, como a ambição, por exemplo, que pode estar facilmente ligada à cobiça, à avareza e à gula.

Ficar consciente da existência de uma corrente do Não na sua psique não é o suficiente para interrompê-la. Você precisa observá-la em ação, diariamente, com a finalidade de ver e sentir o seu efeito, além de compreender por que a mudança é desejável. A última palavra é sempre sua. Nesse momento, é essencial que você mude o padrão mental de pensamento de “eu não posso” para “é possível”. Isso eliminará o Sim servil, fantasioso e frenético. Ao usar sua vontade e intenção positivas para mudar, você poderá pôr fim ao seu sofrimento. Depois disso, não será mais o mesmo; verá e compreenderá a verdade da ordem divina.

  • #111 Substância Da Alma; Lidando Com As Exigências
  • #124 A Linguagem Do Inconsciente
  • #125 A Transição Da Corrente Do Não Para A Corrente Do Sim

Passos para a Purificação e a Transformação do Eu Inferior*

  1. Tenha o desejo de trabalhar com o Eu Inferior e transformá-lo.
  2. Tenha o desejo de saber o que você é, sabendo desde já que é mais do que pensava que fosse.
  3. Estabeleça contato com o Divino e peça ajuda para ter a força, a perseverança e a capacidade de mudar.
  4. Use o pensamento de uma nova maneira: troque o “eu não posso” pelo “é possível”.
  5. Esteja disposto a sentir a dor original e, também, a dor presente, e como isso tem afetado sua vida.
  6. Medite sobre a possibilidade de mergulhar em si e ver o que está evitando.
  7. Esteja disposto a ver as correntes do Não.
  8. Compare as áreas da sua vida nas quais está realizado com as áreas nas quais não está. Sinta a diferença.
  9. Converse sobre o seu problema.
  10. Medite: “A verdade não pode me prejudicar, embora algo ignorante em mim se rebele contra ela. Apesar disso, eu digo Sim. Eu tomo as rédeas em minhas mãos”.
  11. Observe as atitudes negativas.
    1. Questione sentimentos e reações de criações negativas.
    2. Olhe e trabalhe através dos efeitos em si e nos outros—qual o preço que você paga?
    3. Olhe para a falsidade dos seus pretextos, examinando o que está abaixo das camadas da culpa e da vitimização. “O que eu faço não está funcionando porque…, mas eu decido conscientemente que quero atuar de uma maneira diferente.” Uma compreensão maior o levará a uma vontade maior de abrir mão das atitudes negativas.
  12. Substitua a identificação pela observação.
  13. Encontre a essência divina da qualidade daquilo que se manifesta como negativo.
  14. Substitua a identidade e a atitude com a pergunta: “Que atitude devo escolher em relação àquilo que observo em mim agora e de que não gosto?” Veja quais são suas escolhas conforme observa as atitudes e as intenções destrutivas no seu interior.
  15. Medite com as três vozes: a mente consciente com o Eu inferior (a criança interior); a mente consciente com o Eu Superior; o Eu Superior com a criança interior.
  16. Faça a Oração do Portal.
  17. Reconheça os Estágios da Consciência:
    1. Semi-adormecido: não sabe quem você é e luta cegamente contra o que você detesta em si mesmo.
    2. Observa, reconhece e expressa aquilo de que você não gosta.
    3. Conscientiza-se de que o Eu Real é o observador capaz de fazer novas decisões e escolhas.
    4. Compreende os aspectos anteriormente odiados, o que significa sua dissolução e integração.
  18. Tenha um diálogo interno consciente conforme você for descobrindo o inconsciente:
    1. Admita aquilo que você descobre.
    2. Saiba por que as atitudes são negativas e como elas distorcem a verdade.
    3. Considere a situação versus a perspectiva da criança. Traga razão às emoções.
    4. Manifeste o desejo irracional por trás da atitude destrutiva:
      1. Como isso se opõe à realidade, à justiça, à verdade?
      2. Por que é errado? Como poderia ser diferente?
  19. Visualize o estado que você quer alcançar e a pessoa que quer se tornar.

*Escrito por Cynthia Schwartzberg.

  • #222 Transformação Do Eu Inferior

Próximo Capítulo
Voltar ao Índice

Palestras do Guia do Pathwork estão disponíveis gratuitamente no site do Pathwork Brasil e, em inglês, no site da Fundação Pathwork.

Leia as Palestras do Guia do Pathwork em Português
Leia as Palestras do Guia do Pathwork em Português